Espinhas internas: veja como se livrar desse problema

Receitas caseiras, medicamentos, limpeza de pele, alimentação equilibrada – alguns cuidados antes, durante e depois das espinhas internas são necessários se você quiser acabar com elas de vez.

Também chamadas de pápulas eritematosas inflamatórias, as espinhas internas não costumam evoluir para pústula, ou seja, pus visível. A causa é o acúmulo de sebo nas glândulas sebáceas, e o seu excesso abstrói a pele, não deixando uma saída para a inflamação.

O resultado são bolinhas vermelhas e dolorosas que podem surgir no rosto, na cabeça, no ouvido, nas costas ou em outras áreas do corpo.

Se você quer aprender como secar espinhas internas urgentemente e nunca mais sofrer desse problema, acompanhe este artigo e conheça alguns tratamentos.

Receitas caseiras para espinhas internas

Antes de conhecer alguns tratamentos caseiros, é importante lembrar que não se deve espremer as espinhas internas, forçando-as à erupção. Esse ato só agrava o problema, aumentando o inchaço e a inflamação.

Conheça agora as receitas caseiras para tratar a espinha interna:

Chá preto

O chá preto, feito a partir das folhas velhas da Camellia Sinesis é uma bebida com efeitos antioxidantes e anti-inflamatórios.

Para prepará-lo, você vai precisar de um sachê de chá preto em 100 ml de água. Ferva essa água por até 3 minutos e aguarde até ficar morno. Em seguida, coloque esse sachê sobre a pele afetada pelas espinhas internas e deixe agir por 30 minutos.

Limpeza de pele

A limpeza na pele é fundamental para manter o pH equilibrado e evitar o surgimento da acne, cravos, espinhas internas e externas.

Um sabonete de acordo com o seu tipo de pele e uma boa esfoliação podem ajudar a prevenir e a tratar as espinhas internas.

Mas cuidado! O uso abusivo de esfoliantes ou até mesmo o ato de lavar muito o rosto promove o efeito rebote: quando o organismo entende que está faltando sebo e o produz em maior quantidade para suprir a deficiência. O sebo é algo natural de nossa pele e não deve ser eliminado.

Nessa etapa também é válido o uso do tônico adstringente para contrair os poros, eliminar as impurezas e controlar a oleosidade.

Caso a esfoliação seja feita durante o dia, nunca esquecer o filtro solar, pois além das espinhas há o risco de vermelhidão e o envelhecimento precoce.

Gelo

Se você perceber que a espinha interna está se desenvolvendo, aplique gelo sobre a área por cinco minutos. Para isso, coloque-o dentro de um saquinho ou envolvido por toalha. Isso evita que o gelo queime a pele.

Os cubos de gelo têm ação anti-inflamatória, reduz a vermelhidão e a dor, além de fechar os poros e ajudar no controle da oleosidade.

Cuidados extras

Mesmo após as espinhas internas terem desaparecido é importante manter a pele saudável a fim de evitar um novo surgimento desses problemas. A seguir, alguns cuidados extras que ajudam no tratamento, veja:

  • Troque a alimentação – Evite ao máximo os alimentos gordurosos e açucarados, como sorvetes, chocolates, amendoim e bolos, pois eles irritam as glândulas sebáceas.
  • Evite a maquiagem – A maquiagem obstrui os poros e aumenta a oleosidade da pele, mas não removê-la prejudica ainda mais. Caso ainda queira fazer uso da maquiagem, dê preferência aos produtos oil free, e que tenham componentes que garantem o controle da oleosidade.

Com todos esses cuidados e receitas caseiras, as espinhas internas não têm vez!

Porém, nada substitui um profissional, ainda mais se o seu caso for mais grave e você sofre de psoríase ou dermatite. O dermatologista vai saber identificar o melhor medicamento para o seu caso, seja de uso tópico ou oral.


Deixe uma resposta